Quem precisa do PiG?

19/12/2011 16:48

http://oqueseraquemeda.wordpress.com/2011/12/17/quem-precisa-do-pig/#more-3335

 

Não entendo o porquê da indignação geral com a falta da repercussão dada ao livro do Amaury. O que esperavam? Que o PiG – no fundo tão réu, ou mais até, que os denunciados – agisse como imprensa democrática e estampasse o livro em suas capas, com letras garrafais como vinha fazendo em suas denúncias seletivas contra o governo Dilma? FHC traduziu perfeitamente o que a oposição quer vender à opinião pública sobre o livro-bomba: consideram calunioso. Se passaram tanto tempo detonando os governos trabalhistas de Lula-Dilma, se impõem aos seus seguidores-leitores a idéia de que Lula inventou a corrupção em 2002 e Dilma segue a mesma cartilha e, principalmente, se insistem em creditar a FHC o exito do atual governo – enfim – não se podia esperar nada diferente a não ser o silêncio e no máximo pequenas notas tímidas desqualificando livro e autor.

A reação ou omissão de nossa imprensa fajuta não tem a menor importância, sendo ela o que é por dois motivos:

Primeiro, porque já está mais do que provado – o fracasso das recentes tentativas de reeditar as passeatas dos “cansados” e a última pesquisa CNI-Ibope confirmam - que o PiG não tem força mobilizadora e seu jornalismo de esgoto mal sustenta o anti-petismo roxo dos mesmos 3 a 5% fiéis cães raivosos. Sem contar que, a cada dia que passa, apanha mais feio da blogosfera.

Segundo, porque “A Privataria Tucana” independe de qualquer reforço midiático para ser um sucesso editorial estrondoso: o livro “mata a cobra e mostra o pau”. Além disso, o tema da dilapidação do patrimônio brasileiro sob FHC já fez a diferença, embora não fosse tão visceral como passou a ser agora. Foi o carro-chefe dos argumentos que deram a vitória ao PT na campanha eleitoral em 2010. O livro cumpre seu destino de se tornar bestseller vigorosamente. Vendeu 70 mil exemplares (até hoje, sábado, 16/12) e a editora não teve tempo hábil de entregar a demanda (55 mil serão entregues segunda, 19/12). —>

O “Privataria” parece ter pernas próprias. Aliás, precisamente, o livro tem cabeça, tronco, membros e saúde… muita saúde! Nocauteou o partido da imprensa tanto na esfera jornalística, onde mostra-se mil vezes mais competente e dá aula de jornalismo investigativo – quanto na política – onde FHC e Serra beiram à senilidade ao comentá-lo. Se fosse uma partida de futebol, seria algo como 11 clones de Neymar jogando contra um time de várzea qualquer, dando goleada e olé. (Ops, sem desmerecer as várzeas Brasil a fora.)

A aceitação imediata e expontânea do livro é tamanha, que parlamentares de todo o espectro político fazem questão de assinar a criação da CPI que o deputado Protógenes Queiroz propõe. Alguém já viu fenômeno parecido? Deputados e senadores telefonando ao Protógenes, pedindo para assinar a lista da criação da CPI? Lista que completou 170 e lá vai pedrada assinaturas em dois dias?

Amaury Ribeiro Jr. enquadrou a oposição numa sinuca de bico que praticamente levará o ex-ministro Fernando Haddad ao segundo turno aqui em São Paulo como franco-favorito a ser eleito (se não o eleger em primeiro mesmo). E deverá fazer estragos enormes em e outras praças onde PSDB, DEM e associados planejavam manter ou conquistar prefeituras. Isso, tratando-se do efeito a médio prazo. Porque a coisa vai engrossar muito mais para os tucanos. Serra, na melhor das hipóteses, vai receber cadeira cativa e definitiva na caverna do ostracismo político. Na pior, vai ver o sol nascer quadrado pelos próximos 10 anos em cela comum – já que não tem diploma algum válido em território nacional como bem lembrou o Sr. Cloaca.

O que o PiG faz não é jornalismo. Portanto seu silêncio é oco, inútil e sem importância. Excetuando-se Carta Capital, que cobre o fato já há duas edições, há mais jornalismo na imprensa estrangeira sobre o livro do Amaury - EUAPortugal e Françasó para citar alguns exemplos - que na nossa.

O JN de ontem exibiu matéria contra a Argentina da era Kirchner, acusando – tsk! – a presidente Kirchner, re-eleita de forma arrasadora, de conspirar contra a liberdade de imprensa – só rindo mesmo! – ao pretender controlar todo o mercado da indústria de… papel! Alega o “jornalismo” da Globo que o propósito de Cristina Kirchner é impossibilitar o PiG portenho de imprimir seus jornais! Se é assim, com esses argumentos, que a Globo pretende proteger seu oligopólio inconstitucional, estamos feitos! Mais uma razão para que Dilma envie o projeto de regulamentação da mídia ao congresso no início de 2012.

Coragem presidenta, o cachorro do PiG late, mas morde cada vez menos.